Que os corações se abram

Reduzir o evangelho a um ideal moral ou como regra de vida elevada, faz com que o cristão tenha uma visão distorcida do que ele realmente deve ser.  Muitos cristãos têm como meta testemunhar Cristo e procura levar uma vida conforme o ideal evangélico, e às vezes isto caminha para uma experiência que o faz entender que ele detém o monopólio da moral cristã, esquecendo que muitas vezes lá onde os olhos não alcançam existem muitos que desprovidos desta mentalidade levam uma vida moralmente eficaz, principalmente no que envolve a bondade, a solidariedade e compaixão, valores humanos fundamentais à humanidade. 

Não se vive a proposta de Cristo desta forma, tendo um ideal evangélico perfeito, não se presta um culto agradável a Deus com esta mentalidade. Fazer a experiência de Cristo é perguntar-se: o que desejou o Pai ao revelar em Cristo sua nova lei? E como o cristão deve revelar os mistérios de Cristo em sua vida moral? 

A primeira pergunta deve ser respondida reconhecendo que a presença de Cristo no coração do mundo veio da parte do Pai para dar pleno cumprimento à lei, ou seja, fazer da lei lugar de encontro do homem com Deus e de Deus com o homem. Quando isto não acontece, o que se percebe é a multiplicação de prescrições, fardos pesados sobre os ombros e a fé torna-se lugar do legalismo, perde o foco e começa a partir daí a busca por aquilo que não é essencial no caminho verdadeiro da fé. Para Moisés a lei deveria revelar a verdadeira fidelidade a Deus e o homem deveria dar pleno cumprimento a ela na obediência do coração. Mas se perdendo dentro de seus desejos o homem não consegue esta façanha. 

Cristo é o primeiro a cumprir verdadeiramente a lei de fidelidade ao Pai, cumpre-se Nele o encontro da fé e lei vivida na integridade do coração. Dá-se Nele o cumprimento daquilo que o Pai desejava, que a lei do Senhor pudesse instruir os caminhos dos homens, Jesus prova aos seus que a lei exterior não é a lei que advém do Pai, a que vem de Deus vem do interior dos corações e ela renova os homens. 

A segunda pergunta iremos respondê-la quando descobrirmos que a autenticidade da vida de um cristão não passa simplesmente por uma moral cristã perfeita, por um caminho evangélico exemplar a ponto de dizer: eu sou o exemplo de cristão! Mas sim, na verdadeira alegria de perceber que a sua vida é gerada na morte e Ressurreição do Senhor. A vida de um verdadeiro cristão deriva da Páscoa daquele que soube dar complemento à Lei de Deus na obediência, soube cumpri-la e levá-la à perfeição no "abraço" que deu na Cruz em favor de todos. Observemos que a vida do cristão será sempre mais perfeita quando também vivê-la na força do Espírito Santo, e com isto enfrentar as mortes de cada dia na certeza que sua obediência não vem de seu exterior, mas de seu interior que é conduzido pelo Espírito que moveu o Cristo. Para que isto se cumpra nos corações, faz-se necessário entender o que Cristo disse aos seus discípulos: "Ninguém põe remendo de pano novo em vestido velho; porque o remendo tira parte do vestido e fica maior a rotura. Nem põe vinho novo em odres velhos; de outro modo arrebentam os odres e derrama-se o vinho e estragam-se os odres. Mas vinho novo é posto em odres novos e ambos conservam-se". (Mateus 9:14-17)

Que os corações se abram e nasçam no mundo cristão entendendo que uma moral cristã ou ideal evangélico só tem sentido se estiver fundamentado na morte e ressurreição de Cristo.   

Padre Joacir Alves Antunes

Postagens relacionadas

Só entenderemos o encontro dos profetas com seu povo quando percebermos que este encontro se dá no terreno da antiga aliança que continha três pilares: na Lei, nas instituições, no culto, desta maneira pode se ter um olhar amplo do que cercava o profetismo em

Ver completo

Do dia 03 a 12 de outubro a Paróquia Cristo Operário estará celebrando a novena em honra a Nossa Senhora Aparecida, momento de reconhecimento daquela que nos indica o sol da justiça que é Cristo. A aurora da salvação resplandeceu atrav&eacut

Ver completo

O encontro com Cristo renova o compromisso missionário que se define no título de profeta que se recebe no batismo, e com ele o missionário revela ao mundo a missão  recebida de Deus.  O profetismo faz do homem um colaborador na revelação d

Ver completo

Na Solenidade da Imaculada Conceição de Maria no dia 08 de dezembro de 2015, o Papa Francisco definiu que seja aberto o Ano Santo da Misericórdia, um convite a todos os homens e mulheres para que reconheça a grandeza da bondade e da misericórdia de Deus e com isto

Ver completo

Quarta-feira de Cinzas Mateus 6,1-6; 16-18 Abrimos hoje na celebração de cinzas todo um caminho que nos leva a contemplar daqui a quarenta dias o ápice do amor de Deus para com a humanidade, quando na sexta-feira Santa fazemos memória do abraço que Cristo deu

Ver completo

Primeiro domingo da Quaresma Lucas 4,-1-13 Lucas trabalha nessa passagem as tentações sofridas por Cristo. Assim como o primeiro Adão sofreu as tentações, Jesus também as sofreu e elas estão na esteira do caminho de todos os homens. Lucas mos

Ver completo

Segunda- feira  Ofício festivo Cátedra de São Pedro Mateus 16,13-19 A confissão de Cesareia é uma passagem bastante homogênea que engloba a profissão de fé messiânica de Pedro, como também o primeiro anúncio da

Ver completo

IV Domingo da Quaresma Js 5, 9-12 2 Cor 5, 17-21 Lc 15, 1-3.11-32 Lucas concede um presente a sua comunidade, um capítulo inteiro com as parábolas da misericórdia. Este capitulo é reconhecido como midrash de Jeremias 31. Ou seja, uma releitura do profeta: em Jer 31,

Ver completo

Quarta Semana da Quaresma Terça feira  Primeira leitura Ez 47, 1-9.12 Evangelho Jo 5,1-16 Nesta passagem do quarto Evangelho é traçada uma nova elaboração cristológica, a nova fase de Jesus define-o não mais como o Messias, mas o Fi

Ver completo

V Domingo da Quaresma Is 43, 16-21 Fl 3, 8-14 Jo 8, 1-11   A liturgia deste domingo traz-nos como reflexão o evangelho da mulher pecadora, que tem como finalidade mostrar que Deus é Aquele que cria através da novidade, Ele recria e dá alento àquilo qu

Ver completo

COMO COMEÇAR Tomemos cuidado, porque com advento das redes sociais estamos vendo sair do ninho um monte de gente que está se comportando como aqueles homens do Evangelho da mulher adúltera.  "Quem não tiver pecado que atire a primeira pedra", e que lo

Ver completo

DOMINGO DE RAMOS Este evangelho deixa claro a intenção de Lucas que é colocar os acontecimentos da Paixão de Cristo no campo da misericórdia e do amor. A ideia do evangelista perpassa o caminho de que o Pai ama o Filho, logo  ama os homens. Enquanto os out

Ver completo

Semana Santa Segunda-feira  Primeira leitura: Isaías 42, 1-7 Evangelho 12.1-11 A unção que foi feita em Jesus em Betânia nasceu do coração do evangelista com o intuito de opor a avareza de Judas com a delicadeza daquela mulher. Judas julgava um

Ver completo

SEXTA- FEIRA SANTA Enquanto o Esposo dorme, a esposa cala-se. Assim, na Sexta-feira Santa e no Sábado Santo, a igreja não celebra os Sacramentos. Debruça-se totalmente sobre o sacrifício da Cruz por meio de uma Celebração da Palavra de Deus. Neste dia, a

Ver completo

Numa humanidade que cultua o que é passageiro, que não dá garantia de permanência, que não preenche lacunas, vemos os homens tornarem-se sujeitos de relações líquidas e, por mais que tente se acoplar uns aos outros, tentam também incutir

Ver completo

FELIZ PÁSCOA   "Cristo ressuscitou, o sertão abriu-se em flor/ da pedra água saiu/ era noite o sol surgiu". Cantamos na missa este canto da ressurreição do Senhor e agora é necessário que anunciemos esta novidade ao mundo. Se

Ver completo

  Você sabe o que é forania?    A Igreja Católica tem uma forma própria de organização com nomes que, muitas vezes, não conhecemos o significado. É o caso do termo “Forania”. Ele designa a união de

Ver completo

Santíssima Trindade – Domingo   Primeira Leitura (Pr 8,22-31) Segunda Leitura (Rm 5,1-5) Evangelho (Jo 16,12-15)   A tribulação gera a constância, a constância leva a uma virtude provada, a virtude provada desabrocha em esperanç

Ver completo

Chegamos a mais um feriado! “Todos os Santos”  A  Igreja convida a todos para celebrar a memória de nossos irmãos e irmãs, que aqui passaram e deixaram em nós saudades.  Também a Igreja deseja ensinar-nos que a “morte&rdqu

Ver completo